Ação de graças, uma atitude diária do cristão

Compartilhe essa Pagina

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Share on whatsapp

A ação de graças, o agradecer, o ser grato a alguém, é uma atitude, antes de tudo, de reconhecimento por algo. É nesse sentido que, todos os anos, no dia 26 de novembro, celebra-se o dia de ação de graças. É o que os americanos costumam chamar de Thanksgiving Day. Existem países em que essa data é feriado. Mas qual a origem dessa comemoração? Tenho algo pelo que agradecer? A Igreja celebra também essa data? Qual a melhor atitude de ação de graças para o católico? Caro leitor, neste artigo, tentaremos responder essas perguntas, a fim de esclarecer essa atitude humana que, muitas vezes, fazemos, mas não temos tanta consciência.

O significado do dia de ação de graças

A data em que se celebra o dia de ação de graças é um momento festivo, marcado por orações, comemorações e festas, em que visam agradecer pelos bons acontecimentos do ano que está prestes a terminar. Com isso, a festa teve origem, no ano de 1621, quando um grupo de pessoas se juntaram para agradecer pela colheita daquele ano que fora farta, mesmo vindo de um inverno rigoroso que poderia afetar a plantação. A partir desse momento, criou-se o costume de se reunirem, todos os anos, para agradecer com festas pelas boas colheitas.

Os Estados Unidos se tornou pioneiro nessa celebração. A partir do decreto do então presidente Abraham Lincoln, no ano 1863, declarou feriado oficial, todos puderam agradecer a Deus e as pessoas por tudo de bom que aconteceu em suas vidas. As famílias se reúnem e, em um momento de reconhecimento pelos bens recebidos, consomem pratos típicos e fazem uma declaração de ação de graças pública para os participantes da festa.

Tenho algo pelo que agradecer?

Podemos parar um momento e pensar se temos realmente o que agradecer neste tempo. Estamos ainda enfrentando uma pandemia em que todo mundo foi pego de surpresa e muitas pessoas queridas se foram, partiram devido essa doença. Passamos por mudanças nos costumes sociais, econômicos e até mesmo religiosos. Contudo, neste ano de 2020, mesmo com tantos desafios enfrentados e outros ainda por enfrentar, reconhecemos que podemos agradecer, antes de tudo, pela nossa vida; agradecemos também pelo dom da esperança que deve habitar o coração de cada cristão. Temos ainda que agradecer pelos que estão conosco, aqueles que amamos e estão podendo viver os desafios deste tempo juntos; e ainda, mesmo com dor, podemos agradecer por aqueles com os quais, embora tenham realizado a sua páscoa eterna e já estão com Deus, tivemos momentos maravilhosos, pois são significativos para cada um de nós e nem a ausência física irá mudar o amor que temos por eles.

É ou não verdade que temos a oportunidade de agradecer pelo emprego que você, o seu esposo ou até mesmo o seu filho possuem? Pela comida que os alimenta, mesmo ela sendo simples; agradecer pela casa que os abriga do frio e do calor, pela saúde e também pela Igreja Católica que alimenta a nossa alma, que não nos deixa perder a fé, Em meio a tantas dificuldades, temos a oportunidade de crer no que o Salmo 30,5 nos assegura: “Pode o choro durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”. Por mais difícil que esteja a vida, temos a certeza de que Deus está conosco, e isso é motivo de Lhe agradecermos.

A Igreja celebra também essa data?

A Igreja, desde da sua origem, é aquela que oferece a Deus ação de graças. Devemos entender que a palavra ação de graças tem origem grega, que significa Eucaristia (εὐχαριστία), ou seja, ação de graças e Eucaristia significam a mesma coisa. Com isso, não só no dia 23 de novembro a Igreja se dedica a agradecer a Deus pelos dons derramados sob o Seu povo, mas faz isso em cada Santa Missa.

Durante a celebração da Missa, no momento importantíssimo em que o sacerdote reza a oração eucarística, ou seja, a oração de ação de graças, seguem-se algumas expressões que caracterizam o agradecimento da Igreja a Deus, tais como: “Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai Santo, criador do mundo e fonte de vida” (Oração Eucaristia VI)1. Segue ainda, em outra oração, o reconhecimento: “Na verdade, é justo e bom agradecer-Vos, Deus Pai, porque constantemente nos chamais a viver a felicidade completa […]” (Oração Eucaristia VII)2. Com esses momentos explícitos, toda a Igreja em oração agradece a Deus pelos dons recebidos d’Ele.

Encontra-se também em várias passagens bíblicas momentos em que os escritores sagrados são levados a render ação de graças a Deus. De maneira especial os Salmos, que são em grande parte orações, louvores em momentos específicos que o povo de Deus enfrentava. Com isso, encontram-se tais expressões: “Como é bom agradecermos ao Senhor e cantar Salmos de louvor ao Deus Altíssimo! Anunciar pela manhã vossa bondade” (Sl 91,2). E ainda: “Dai graças ao Senhor, gritai Seu nome, anunciai entre as nações seus grandes feitos! Cantai, entoai Salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas!” (Sl 104,1).

Qual a melhor atitude de ação de graças para o católico?

Como já falei um pouco acima, o significado de Eucaristia é ação graças, logo em seguida, pude expor que, no momento da Oração Eucarística, a Igreja agradece a Deus pelos dons recebidos. Com isso, fica mais do que claro que nós como católicos temos a oportunidade de, todos os dias, voltarmo-nos a Deus no ápice das nossas vidas, que é a vivência da Santa Missa, e render graças antes de tudo pelo dom da salvação ofertada por Cristo com a Sua Páscoa.

Para quem tem a oportunidade de comungar Jesus Eucarístico durante a Santa Missa, é de suma importância reservar alguns minutos para voltar a sua consciência, seu coração em agradecimento por tão grande graça, que é ter o próprio Deus dentro de si. É uma graça incomensurável receber Jesus como alimento, por isso, tiramos proveito desse momento e devemos reconhecer tal graça. Ademais, se nós ficamos felizes quando amigos e pessoas que amamos vêm nos visitar, como não nos enchermos de amor quando Deus vem ser alimento para nós? Com isso, devemos agradecer por tudo o que vivemos, pelas graças derramadas e por tudo o que você tiver que agradecer a Deus. Meus queridos leitores, não há maior dom que a Santa Missa. Como falou São João Paulo II: “A Missa é o céu na terra”. Aproveitemos desse momento de céu aqui na terra, até que cheguemos à plenitude da vida cristã, na Missa que não terá fim no céu.

Canção Nova

Mais Artigos

FORMAÇÃO

Como podemos reconstruir uma amizade?

Iniciamos esta reflexão com alguns versículos do Livro dos Provérbios: “O amigo ama em todo o tempo: na adversidade, ele se torna um irmão” (Pv