A raiz da cura está no perdão

Compartilhe essa Pagina

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Share on whatsapp

Se você está com sede, não basta colocar água na boca e não engolir. Chega um momento em que é necessário engolir. Se não der um gole, você não mata sua sede. Então, será absolutamente inútil ter água na boca.

Com a decisão é a mesma coisa, pois decidir é uma coisa totalmente pessoal. É você quem se decide por amar, perdoar, fazer as pazes… Tudo depende de você. Na hora em que se decidir, o Senhor lhe dará a graça e a possibilidade.

A graça vem de Deus, mas a decisão depende de você. A graça é acionada por sua decisão de amar e de perdoar. Para que você compreenda, explico: é como o padre na hora da Missa, que para converter o pão e o vinho no Corpo e no Sangue de Cristo, pronuncia as palavras da consagração: “Isto é meu Corpo… Este é o cálice do meu Sangue…”. Cabe ao sacerdote pronunciar essas palavras e cabe ao Espírito Santo, com Sua graça, fazer o milagre para que se tornem presentes sobre o altar o Corpo e o Sangue do Nosso Senhor Jesus Cristo.

A raiz da cura está no perdão e, mesmo que não este não seja fácil, precisamos escolhê-lo

Se o sacerdote não diz as palavras, não há como o Espírito Santo agir. Na hora em que ele as pronuncia, o Espírito Santo age e a maravilha de Deus acontece. É um milagre. Em resumo: com amor e perdão Deus entra com a graça, mas se não há decisão, não há como a graça de d’Ele agir.

É claro que nenhum padre por si só é capaz de mudar a substância do pão e do vinho nem perdoar os pecados de ninguém. Mas que beleza! Ao pronunciar as palavras, tudo muda pela ação do Espírito Santo. No amor, no perdão é o mesmo: você decide e Deus opera.

Decida-se a perdoar!

Oremos: “Vem, Espírito Santo, arranca do meu interior toda a raiz da amargura, da decepção, da tristeza, do abatimento e do desânimo. Quero perdoar minha mãe, meu pai, meus irmãos, minhas irmãs. Quero perdoar meus parentes e amigos. Eu me decido a perdoar. Eu me decido a amar. Derrama, Senhor, sobre mim o Espírito Santo e dá-me a graça da decisão de perdoar, de amar. Quero perdoar a pessoa com quem me casei, apesar de tudo aquilo que fez. Quero perdoar todas as pessoas que agora vêm a minha mente. Aqueles que me prejudicaram e me ofenderam ou que falaram mal de mim, da minha família… Derrama, Senhor, Teu Espírito Santo, para que meu coração seja profundamente curado e possa dizer com a vida: ‘Eu quero amar, eu quero ser aquilo que Deus quer, sozinho eu não posso mais’. Eu me decido a amar. Eu me decido a perdoar”.

Onde há vontade, existe um caminho. Deus espera sua decisão.

Canção Nova

Mais Artigos